Home

952.   A Verdadeira Dieta dos Neandertais


  A paleo-dieta (veja também aqui e aqui) (Nota 1) é uma das últimas tendências entre pessoas que se preocupam com a questão da nutrição e é inspirada pelas dietas dos primeiros humanos.

  Mas acontece que Neandertais podem não ter comido o que nós pensamos.

  Um estudo recente mostrou que nossos ancestrais se alimentavam de grandes mamíferos como mamutes e rinocerontes lanudos, enquanto um quinto de sua dieta era constituído por plantas.

  Fósseis obtidos em escavações de sítios na Grotte de Spy na Bélgica, ou Spy Cave, revelaram uma vasta coleção de animais que lá viveram há 45.000 até 40.000 anos atrás.

  Ossos de mamutes, rinocerontes lanudos, cavalos selvagens, renas, bisões europeus, hienas das cavernas, ursos e leões assim como restos de lobos foram encontrados.

  Na vizinhança imediata, os ossos de vários Neandertais também foram descobertos.

  Com base em análises dos isótopos no colágeno encontrado nos ossos, os pesquisadores foram capazes de mostrar que a dieta dos Neandertais era notavelmente diferente daquela de outros animais predadores.

  Colágeno é um componente orgânico essencial do tecido conectivo em ossos, dentes, cartilagens, tendões, ligamentos e a pele.

  “Obtivemos uma visão detalhada da dieta dos Neandertais”, disse o Professor Dr. Hervé Bocherens, autor principal, da Universidade de Tübigen.

  “No processo, fomos capazes de determinar que os parentes extintos dos humanos atuais se alimentavam primariamente de grandes mamíferos herbívoros tais como mamutes e rinocerontes lanudos.”

  Mas os nossos parentes extintos não se alimentavam somente de carne.

  Eles foram capazes de descobrir isto baseados em uma nova técnica que desenvolveram.

  “Outras técnicas poderiam nos dizer que os Neandertais estavam comendo um monte de carne, mas não nos poderiam dizer se era só carne ou também algumas plantas, e que algumas plantas eram consumidas, mas não em que quantidade”, disse o Dr. Bocherens ao MailOnline.

  “Então, esta nova técnica forneceu pela primeira vez uma estimativa quantitativa de plantas versus carne na dieta dos Neandertais estudados.”

  “Por exemplo, estudos da composição isotópica de aminoácidos individuais no colágeno oferecem prova de que matéria vegetal constituía aproximadamente 20 por cento de sua dieta.”

  “Anteriormente, era assumido que os Neandertais utilizavam as mesmas fontes de alimento de seus vizinhos animais”, disse o Dr. Bocherens.

  “Entretanto, nossos resultados mostraram que todos os predadores ocupavam um nicho muito específico, preferindo presas pequenas como regra, tais como renas, cavalos selvagens ou bisões das estepes, enquanto os Neandertais se especializaram primariamente nos grandes comedores de plantas tais como mamutes e rinocerontes lanudos.”

  “Neste estudo, fomos capazes pela primeira vez de determinar quantitativamente a proporção de comida vegetariana na dieta dos Neandertais tardios.

  “Resultados similares foram encontrados para humanos mais recentes da Idade da Pedra”, acrescentou ele.

  Os pesquisadores mediram a proporção isotópica de nitrogênio no colágeno.

  “Quando você considera animais diferentes, alguns totalmente herbívoros tais como cavalos, bisões, rinocerontes e outros totalmente carnívoros tais como lobos, leões, hienas, e você compara os valores isotópicos de nitrogênio para estes dois tipos de aminoácidos, você pode traçar duas linhas paralelas, uma para os herbívoros e outra para os carnívoros”, disse o Dr. Bocherens ao MailOnline.

  “Os Neandertais estão entre essas duas linhas, mostrando que eles comiam uma combinação de plantas e carne, e a distância entre estas duas linhas de referência nos permite calcular os 20 por cento de plantas em sua dieta.”

  Entre outros, os cientistas de Tübingen esperam que seus estudos levem a um entendimento mais claro do que causou a extinção dos Neandertais cerca de 40.000 anos atrás.

  “Estamos acumulando mais e mais evidência de que a dieta não foi um fator decisivo no porque os Neandertais cederam lugar aos humanos modernos”, disse o Dr. Bocherens.

SMART, SOPHISTICATED AND ARTISTIC: THE NEW VIEW OF NEANDERTHALS

  Neanderthals first emerged around 280,000 years ago, spreading to inhabit much of Europe and parts of Asia, but they eventually died out 40,000 years ago. 

  The reason for their demise was often put down to being a more primative species of human that was unable to compete against the more sophisticated Homo sapiens.

  They were depicted as thuggish cavemen that scraped an existence on the cold lands of ice age Europe. 

  However, a series of discoveries are now putting Neanderthals into a new light. Stone tools discovered at sites they inhabited suggest they were skilled tool makers with adept hand eye coordination.

  A 60,000-year-old multi-purpose bone tool unearthed in France also suggests Neanderthals understood how to use bones to make useful devices.

  A recent discovery by researchers at the Muséum National d'Histories Naturelle in Paris suggests that Neanderthals may have built homes using the materials they found around them.

  They discovered a 26 feet wide building created 44,000 years ago from mammoth bones.

  Many of the bones had also been decorated carvings and ochre pigments.

  Cross-hatched engravings found inside Gorham's Cave in Gibraltar are also thought to be the first known examples of Neanderthal rock art.

  DNA analysis has also shown that Neanderthals carried the same genes that are thought to have enabled modern humans to speak.

  Eight talons found at a 130,000 year old Neanderthal site in Krapina in Croatia are also thought to be the world's first jewellery, and may have been worn as a necklace. 



Fonte : Daily Mail, 16/03/2016

Autor : Abigail Beall

Nota 1 do Site : Um pouco de humor sobre a paleo-dieta

“Alguma coisa não está bem certa – nosso ar é limpo, nossa água é pura, nós todos fazemos muito exercício, tudo que comemos é orgânico e selvagem, e ainda assim ninguém passa dos trinta.”



Pensava-se anteriormente que os Neandertais consumiam o mesmo alimento que os predadores que viviam à sua volta. Mas um estudo recente mostrou que nossos parentes se alimentavam de grandes mamíferos como mamutes (na imagem) e rinocerontes lanudos, enquanto um quinto de sua dieta consistia de plantas

O estudo mostrou que todos os predadores ocupavam um nicho muito específico, preferindo presas pequenas como regra, tais como renas, cavalos selvagens ou bisões das estepes, enquanto os Neandertais se especializaram primariamente nos grandes comedores de plantas tais como mamutes e rinocerontes lanudos



Veja o resumo do artigo :

Isotopic evidence for dietary ecology of late Neandertals in North-Western Europe

  The Late Pleistocene site “Troisième caverne” of Goyet (Belgium) has yielded the broadest set of Neandertal remains in North-Western Europe and is associated with a rich and diverse large mammal assemblage. We reconstructed the dietary ecology at the site using stable isotope tracking (δ13C and δ15N) of bone collagen. The δ13C and δ15N values of all species are consistent with those observed in other “mammoth steppe” sites. The relative contribution of potential prey species to the diet of carnivores (including Neandertals) was evaluated using a Bayesian model. The distribution of individuals from herbivorous species and carnivorous ones was determined through cluster analysis in order to identify ecological niches, regardless of the individual species attribution. The Neandertals within the predator guild and the mammoth and reindeer as representatives of the herbivores occupied the most specific and most narrow ecological niches. The “Troisième caverne” of Goyet can be regarded as a key site for the investigation of Late Pleistocene Neandertal ecology north of the Alps.

Autor : Hervé Bocherens,...

Referência : Quaternary International, 2015; DOI: 10.1016/j.quaint.2015.09.091



Veja também:

Woolly mammoths slaughtered by prehistoric humans are found piled on top of 120 million-year-old dinosaur remains in a huge fossil graveyard 'found by accident' in Russia (Daily Mail, 09/08/2017)


Foram Neandertais Canibais Que Causaram Sua Própria Extinção ?


  Eles sobreviveram ao clima inclemente da Idade do Gelo na Europa por bem mais de 100.000 anos antes de desaparecer completamente 40.000 anos atrás.

  Enquanto a extinção dos Neandertais tem sido atribuída aos nossos próprios ancestrais modernos e mudanças climáticas, um novo estudo afirma que eles podem ter sido os arquitetos de sua própria queda.

  A pesquisa sugere que espécies mais antigas podem ter recorrido ao canibalismo e isso finalmente levou à sua extinção.

  Cientistas afirmam que estes antigos primos humanos podem ter começado a devorar uns aos outros quando os recursos diminuíram em face da competição com nossos ancestrais Homo sapiens.

  Isto teria provocado a diminuição do seu número e fragmentação das populações até um ponto onde não eles não puderam se recuperar.

  O Professor Jorid Agusti, um paleoecologista da Universidade de Rovira Virgili, Tarragona, Espanha, e seus colegas usaram sofisticados modelos de computador para estudar o que pode ter acontecido aos Neandertais.

  Eles descobriram que se os Neandertais enfrentaram competição com um rival não canibal – humanos modernos – seu próprio canibalismo teria um impacto negativo em suas populações.

  Restos fossilizados descobertos em cavernas espalhadas pela Europa já tinham fornecido algumas pistas de que os Neandertais recorreram ao canibalismo para suplementar sua dieta.

  O Professor Agusti disse : “Nossos resultados mostram que, sem competidores sérios, o canibalismo é uma ótima estratégia em ambientes hostis.”

  “Ela permite a um grupo aumentar seus recursos e proteger a área de grupos invasores.”

  “Por outro lado, a partir do momento em que um competidor não canibal é introduzido neste mesmo ambiente, o canibalismo torna-se uma característica extremamente negativa, porque indivíduos ainda se beneficiam com este comportamento, mas ele é claramente adverso para a espécie como um todo.”

  “O comportamento dos grupos Neandertais eventualmente levaram à sua própria extinção quando o anatomicamente moderno Homo sapiens do final do Pleistoceno começou a popular o ambiente, para o qual eles eram extremamente bem adaptados.”

  Os pesquisadores, cujo estudo está publicado no periódico Quaternary International, dizem que um certo número de populações Neandertais cederam ao canibalismo.

  Há evidência de Neandertais devorando ou matando para fins de alimentação alguns de sua própria espécie em sítios do norte da Croácia juntamente com vários sítios na França e Espanha.

  Por exemplo, ossos com 100.000 anos de idade descobertos em uma caverna em Moula-Guercy no Rio Rhone em Adeche, France, mostraram sinais de terem sido carneados e devorados.

  O sinistro cenário também parece ter acontecido em El Sidron, Espanha, onde marcas de cortes e danos ao osso sugerem que foram quebrados para extrair tutano.

  Estes restos de Neandertais são antigos cerca de 43.000 anos, logo antes da espécie ter desaparecido inteiramente.

  O Professor Agusti e seus colegas dizem que isto sugere que os Neandertais podem ter rotineiramente se entregado ao canibalismo, mas conforme seu acesso a recursos diminuía isto tornou-se prática mais comum.

  Eles apontam para modernos grupos que praticam o canibalismo e como suas populações podem frequentemente colapsar quando sob pressão de grupos rivais não canibais.

  Os pesquisadores escreveram : “Os canibais que ainda sobrevivem foram deslocados das áreas mais ricas, e vivem nas fronteiras de áreas áridas ou em nichos isolados.”

  “Sua situação é notavelmente similar ao que sabemos sobre o fim da era dos Neandertais.”

  Há muitas teorias competidoras sobre porque os Neandertais desapareceram.

  As mais comuns são que conforme o clima mudava no final da última Idade do Gelo, eles eram menos aptos para lidar com as condições mais quentes.

  Sua extinção também coincidiu com a chegada de humanos anatomicamente modernos da África e é provável que eles tenham competido uns com os outros por recursos.

  Estudos genéticos recentes revelaram que humanos modernos e Neandertais miscigenaram-se em várias ocasiões no passado.

  Mas alguns antropologistas sugerem que s humanos modernos combateram ativamente os Neandertais e erradicaram suas tribos.

  O Dr. Agusti e seus colegas dizem, entretanto, que o cenário que eles construíram significaria que as populações Neandertais poderiam ter colapsado sem que os humanos modernos as atacassem.

WHAT KILLED THE NEANDERTHALS?

  There are a number of theories about the extinction of the Neanderthals.

  The earliest proto-Neanderthals are thought to have emerged 350,000 to 600,000 years ago.

  Fully formed Neanderthals are then thought to have dominated much of Europe for 100,000 years before died out 40,000 years ago.

  This was around 5,000 years after anatomically modern humans are thought to have moved into Europe from Africa. 

  Some claim violent conflicts with Homo sapiens led to the Neanderthals eventually being wiped out. Our ancestor's superior technology and fitness may have aided in this.

  Others have suggested parasites and disease may have spread rapidly within the Neanderthal populations. It is possible Homo sapiens brought new diseases with them the Neanderthals had not resistance too.

  Competition with modern humans would also have meant fewer resources for Neanderthals as their rivals spread, causing them to struggle to find food and shelter.

  Changes in the climate are also thought to have contributed to their decline. While Homo sapiens were well adapted to hunting prey over long distances, the Neanderthals may have struggled in warmer temperatures.

  Neanderthals thick-set bodies would also have required more energy to move around than modern humans, meaning they would have been less able to survive food shortages.

DID ART GIVE OUR ANCESTORS THE EDGE OVER NEANDERTHALS?

  Research has shown cultural life became increasingly important for early humans.  

  Experts believe our ancestors moved from a primitive 'live fast and die young' strategy to a 'live slow and grow old' one.

  Elsewhere, modern humans gained new cultural abilities that allowed them to better exploit their environments and out-compete groups such as Neanderthals.

  Archaeologists have found cave paintings, rock art and beads dating from after 50,000 years ago, where before then there was limited evidence of art and culture.

  The study explains art is an indicator of humans' ability to innovate, and once people start innovating, technology changes rapidly.

  It was likely this process that allowed humans to successfully populate the planet.

NEANDERTHALS WERE KILLED OFF BY MODERN DISEASES, EXPERTS CLAIM

  In April last year, scientists claimed it may have been infectious diseases carried by our modern human ancestors as they migrated out of Africa that finished the Neanderthals off.

  Experts studying genetic, fossil and archaeological evidence said that Neanderthals suffered from a wide range of diseases that still plague us today.

  They have found evidence that suggests our prehistoric cousins would have been infected by diseases such as tuberculosis, typhoid, whooping cough, encephalitis and the common cold.

  But anthropologists from Cambridge University and Oxford Brookes University said that new diseases carried by modern humans may have led to the downfall of Neanderthals.

  They speculate that pathogens like Heliocbacter pylori, the bacteria that causes stomach ulcers, were brought to Europe by modern humans from Africa and may have infected Neanderthals, who would have been unable to fight off these new diseases.

  However, Neandethals may have also helped modern humans by passing on slivers of immunity against some diseases to our ancestors when they interbred.

  Dr Simon Underdown, a principal lecturer in anthropology at Oxford Brookes University and co-author of the study, said: 'As Neanderthal populations became more isolated they developed very small gene pools and this would have impacted their ability to fight off disease.

  'When Homo sapiens came out of Africa they brought diseases with them.

  'We know that Neanderthals were actually much more advanced than they have been given credit for and we even interbred with them.

  'Perhaps the only difference was that we were able to cope with these diseases but Neanderthals could not.'

Fonte : Daily Mail, 23/03/2016

Autor : Richard Gray



O canibalismo entre grupos Neandertais pode ter representado um papel importante em sua extinção, de acordo com uma nova pesquisa. Modelos em computador mostraram que quando submetidos à competição com humanos modernos, os Neandertais (imagem mostra uma reconstituição) podem ter recorrido ao canibalismo, devastando sua própria população

Marcas de cortes em ossos de Neandertais forneceram alguma evidência de que eles matavam e até devoravam sua própria espécie (a imagem mostra osso da coxa de criança Neandertal encontrado na França)

Os Neandertais (imagem mostra reconstituição) desapareceram cerca de 40.000 anos atrás. Há muitas teorias sobre o que causou sua extinção, mas nova pesquisa sugere que eles mesmos podem ter sido parcialmente responsáveis



Veja o resumo do artigo :

Were Neanderthals responsible for their own extinction?

  After more than 100,000 years of evolutionary success in Western Eurasia, Neanderthals rapidly went extinct between 40,000 and 30,000 years ago, almost coinciding with the spread of Anatomically Modern Homo sapiens (AMHS) in Europe. Several scenarios relate their extinction to competition with AMHS, climatic changes during the last glacial period or a combination of both. Here we propose a much simpler scenario, in which the cannibalistic behaviour of Neanderthals may have played a major role in their eventual extinction. We show that this trait was selected as a common behaviour at moments of environmental or population stress. However, as soon as Neanderthals had to compete with another species that consumed the same resources (AMHS in this case) cannibalism had a negative impact, leading, in the end, to their extinction. To test this hypothesis, we used an agent-based model computer simulation. The model is simple, with only traits, behaviours and landscape features defined and with no attempt to re-create the exact landscape in which Neanderthals lived or their cultural characteristics. The basic agent of our system is a group of individuals that form a community. The most important state variable of our model is the location of the group, coupled with a defined home range and two additional factors: cannibalism and the chance of fission. The result of the simulation shows that cannibalistic behaviour is always selected when resources are scarce and clustered. However, when a non-cannibalistic species (late Pleistocene AMHS) is introduced into the same environment, the cannibalistic species retreats and the new species grows until it has reached the carrying capacity of the system. The cannibalistic populations that still survive are displaced from the richest areas, and live on the borders with arid zones, a situation which is remarkably similar to what we know about the end of the Neanderthals.

Fonte : Quaternary International, 02/03/2016

Autor : Jordi Agustí,...

Referência : doi:10.1016/j.quaint.2016.02.017

<p align="center"> <font face="tahoma" size=4> <a href="Menu_alternativo.htm" target="_top"> <font color="ff0000">Voltar para o Menu Alternativo</font> </a> </font> </p>