Home

960.   Alienígenas Estão Vivendo a Apenas 40 Anos Luz de Distância ?


  Eles não são quentes demais, nem frios demais, e podem fornecer justamente as condições certas para a existência da vida.

  Astrônomos encontraram três mundos do tamanho da Terra dentro da assim chamada zona habitável “Cachinhos Dourados” de uma estrela próxima.

  Os cientistas acreditam que pelo menos um destes “três planetas ursos” possa ser “justamente o certo” para a vida evoluir, dando à busca pela vida em algum lugar no universo um impulso significativo.

  A estrela está aproximadamente 40 anos-luz distante. Para comparação, em média e com base em sua órbita, Marte está 12,5 minutos-luz distante.

  A equipe internacional de astrônomos que encontrou os planetas disse que eles estão orbitando uma estrela anã marrom ultra fria com cerca de um oitavo do tamanho do nosso Sol chamada 2MASS J23062928-0502285.

  Também conhecida como Trappist-1 (Nota 1), esta estrela escura e fria diminui seu brilho em intervalos regulares, indicando que vários objetos estão passando entre a estrela e a Terra.

  Uma análise detalhada mostrou agora que três planetas com tamanhos similares ao da Terra estão presentes.

  A Trappist-1 é muito mais fria e vermelha do que o Sol e pouco maior que Júpiter. Ela está na constelação de Aquário.

  Estas estrelas são muito comuns na Via Láctea e muito antigas, mas esta é a primeira vez que planetas foram encontrados ao redor de uma delas.

  Apesar de estar tão perto da Terra, esta estela é fraca e vermelha demais para ser vista a olho nu ou mesmo através de um grande telescópio de amador.

  De acordo com Michaël Gillon da Universidade de Liège, Bélgica, o sistema planetário se parece mais com luas orbitando Jupiter do que nossa idéia convencional de um sistema solar.

  “Os planetas estão de 20 a 100 vezes mais perto de sua estrela do que a Terra está do Sol”, ele explicou.

  “Isto é mais similar em escala ao sistema das luas de Júpiter do que ao sistema solar.”

  A equipe usou um modesto telescópio de 60 centímetros, instalado no Chile, para encontrar os planetas.

  Os astrônomos acreditam que todos os três são habitáveis, e estão agora dirigindo instrumentos maiores para estes novos mundos para descobrir mais.

  Enquanto outras buscas por exoplanetas se concentraram em estrelas brilhantes, Gillon e sua equipe montaram a pesquisa Trappist especificamente para esquadrinhar as 60 estrelas anãs mais próximas.

  “Sistemas ao redor destas pequeninas estrelas são os únicos lugares onde poderíamos detectar vida em planetas do tamanho da Terra com a nossa atual tecnologia”, disse ele.

  “Então é onde nós devemos começar a procurar.”

  Em setembro de 2015, a Trappist-1 foi vista empalidecer ligeiramente em intervalos regulares, mostrando que vários objetos estavam passando em frente a ela.

  Observações que se seguiram confirmaram que eram planetas do tamanho da Terra.

  Os dois planetas mais internos orbitam em 1,5 e 2,4 dias, enquanto o terceiro apresenta menos certeza e pode ter uma órbita entre 4 e 73 dias.

  A equipe acredita que dos três, o terceiro planeta “Papai Urso” é o mais provável para ser habitável.

  Em seu relatório, publicado hoje no periódico Nature, os astrônomos disseram que todos os três planetas são provavelmente presos por efeito de maré gravitacional à sua escura estrela, com hemisférios de noites e dias permanentes.

  Para os dois internos, isto pode restringir quaisquer pontos favoráveis à vida à “zona de crepúsculo”.

  Mas no terceiro, o planeta inteiro pode ser capaz de sustentar a vida.

  Como este sistema solar está relativamente perto, deve ser possível detectar se os planetas têm uma atmosfera, e mesmo detectar sinais de vida.

  “Podemos estudar sua atmosfera e composição, e ainda em nossa geração, descobrir se são atualmente habitados”, acrescentou o co-autor Julien de Wit, um astrônomo do MIT.

  Ele aduziu : “Todas estas coisas são alcançáveis, e ao nosso alcance agora. Isto é o grande prêmio para este campo.”

Fonte : Daily Mail, 03/05/2016

Autor : Russ Swan

Nota 1 do Site : Trappist = Transiting planets and planetesimals small telescope



Astrônomos encontraram três mundos do tamanho da Terra dentro da assim chamada zona habitável “Cachinhos Dourados” de uma estrela próxima (a representação artística mostra um dos planetas e a estrela)

A Trappist-1 é muito mais fria e vermelha do que o Sol e pouco maior que Júpiter. Ela está na constelação de Aquário. Estas estrelas são muito comuns na Via Láctea e muito antigas, mas esta é a primeira vez que planetas foram encontrados ao redor de uma delas

A equipe internacional de astrônomos que encontrou os planetas disse que eles estão orbitando uma estrela anã marrom ultra fria com cerca de um oitavo do tamanho do nosso Sol chamada 2MASS J23062928-0502285. Esta representação artística mostra como se parece a estrela vista da superfície de um dos planetas recentemente descobertos

Em setembro, a Trappist-1 foi vista empalidecer ligeiramente a intervalos regulares, mostrando que vários objetos estavam passando em frente dela. A posição atual da estrela (quadro inferior) é indicada por uma cruz vermelha. Sua posição relativa em 1953 (quadro superior) e 1998 (meio) é indicada por um círculo vermelho para comparação com sua posição atual



Veja o resumo do artigo na Nature :

Temperate Earth-sized planets transiting a nearby ultracool dwarf star

  Star-like objects with effective temperatures of less than 2,700?kelvin are referred to as ‘ultracool dwarfs’. This heterogeneous group includes stars of extremely low mass as well as brown dwarfs (substellar objects not massive enough to sustain hydrogen fusion), and represents about 15 per cent of the population of astronomical objects near the Sun. Core-accretion theory predicts that, given the small masses of these ultracool dwarfs, and the small sizes of their protoplanetary disks, there should be a large but hitherto undetected population of terrestrial planets orbiting them—ranging from metal-rich Mercury-sized planets to more hospitable volatile-rich Earth-sized planets. Here we report observations of three short-period Earth-sized planets transiting an ultracool dwarf star only 12 parsecs away. The inner two planets receive four times and two times the irradiation of Earth, respectively, placing them close to the inner edge of the habitable zone of the star. Our data suggest that 11 orbits remain possible for the third planet, the most likely resulting in irradiation significantly less than that received by Earth. The infrared brightness of the host star, combined with its Jupiter-like size, offers the possibility of thoroughly characterizing the components of this nearby planetary system.

Fonte : Nature, 02/05/2016

Autor : Michaël Gillon, Julien de Wit,...

Referência : doi:10.1038/nature17448



Veja também :

TRÊS MUNDOS POTENCIALMENTE HABITÁVEIS EM TORNO DE UMA ESTRELA ANÃ MUITO FRIA (03/05/2016)

Descobertos três exoplanetas que poderão revelar vida (03/05/2016)

NASA Anuncia Descoberta de Novo Sistema Solar: Trappist-1 (Daily Mail, 23/02/2017)

<p align="center"> <font face="tahoma" size=4> <a href="Menu_alternativo.htm" target="_top"> <font color="ff0000">Voltar para o Menu Alternativo</font> </a> </font> </p>