Home

985.   Mapa de Madaba: O Mais Antigo Mapa em Mosaico


  O mapa de Madaba é o mais antigo e ainda existente mapa em mosaico da Terra Santa.

  Esta bela e colorida peça de trabalho de antigos artistas (ou talvez cartógrafos) que tinham habilidade e conhecimento bíblico, mostra com muita exatidão locais desde Tiro no norte ao delta egípcio no sul, com todas as montanhas, rios e maiores cidades.

Fragmento que representa Jerusalém. Muralhas são visíveis ao redor das maiores cidades, incluindo Jerusalém, Jericó e Ashdod. Jerusalém é o foco do mapa

  O mapa, que foi criado entre 542 e 570, pode ser encontrado no piso da Basílica de São George na cidade de Madaba (ou “a cidade dos mosaicos”) na Jordânia, cerca de 15 milhas (24 km) a sudeste da parte norte do Mar Morto.

  A história de Madaba (mencionada várias vezes na Bíblia e na Estela Mesha) recua no tempo milhares de anos e os primeiros assentamentos foram criados lá no quarto milênio a.C. Ao tempo do êxodo e conquista, em 1406 a.C., Madaba e o Monte Nebo eram parte do território de Moab. (Isa 15:2; Num 36:1; Deut 32:49).

  Tomada pelo rei Sihon dos amoritas, o que aconteceu um pouco antes da conquista de Canaan por Josué, os israelitas por lá passaram, tomaram a cidade de Madaba e conquistaram Sihon.

O mapa de Madaba da Terra Santa

  De acordo com 1 Macabeus 9:32-45, Madaba era habitada por uma tribo nabateana, os filhos de Jambri ou Iamri, no segundo século a.C.

  Madaba teve uma longa e turbulenta história de ser constantemente capturada por um inimigo ou outro e passada adiante de um conquistador para outro.

  O mapa foi criado originalmente durante o reinado do imperador Justiniano, 527-565 d.C. Ele foi criado com dois milhões de cubos coloridos e media 51 pés x 19,5 pés (15,5 m x 6 m).

  Os fragmentos atuais do mapa são compostos por 750.000 cubos medindo 34,5 pés x 16,5 pés (10,5 m x 5m) e 150 inscrições em grego de vários tamanhos.

O mapa de Madaba é considerado por alguns acadêmicos como a melhor representação topográfica já feita antes da cartografia moderna

  O elemento mais detalhado da representação topográfica é Jerusalém, localizada no centro do mapa. O artista anônimo retratou meticulosamente as construções antigas da Cidade Velha de Jerusalém, seus portões assim como alguns prédios, tal como a Basílica do Santo Sepulcro, Getsêmani e a Cidadela de David.

  Escavações arqueológicas conduzidas de 2010 em diante provaram a sua exatidão com a descoberta de uma rua representada no mapa que atravessa o centro de Jerusalém.

Mapa de Madaba em mosaico no piso da Basílica de São Jorge na “cidade dos mosaicos” na Jordânia

  Também há representações claras do Mar Morto, as pontes ligando os bancos do Jordão, peixes no rio e leões caçando gazelas nas estepes de Moab, tanto quanto cidades, tais como as palmeiras de Jericó e lugares sagrados para os cristãos, como Belém.

  Todos os objetos mostrados no mapa são descritos em grego. Em 1965-1966, o mapa foi redescoberto e descrito por arqueólogos alemães.

Fonte : Ancient Pages, 16/06/2017

Nota 1 do Site : Mais quatro imagens







Veja também:

6th Century Mosaic Map – St. George’s Church – Madaba, Jordan (Mosaic Art Source)

<p align="center"> <font face="tahoma" size=4> <a href="Menu_alternativo.htm" target="_top"> <font color="ff0000">Voltar para o Menu Alternativo</font> </a> </font> </p>