Home

1006.   Oumuamua Apresentou Misterioso Aumento de Velocidade, Diz a NASA


  O primeiro objeto interestelar conhecido a atravessar nosso sistema solar teve um aumento de velocidade inesperado e mudança na trajetória quando atravessou o sistema solar interior ano passado.

  O objeto com forma alongada, chamado "Oumuamua", foi localizado pelo observatório Haleakala no Havaí em 19 de outubro do ano passado.

  Sua aparência e comportamento espantaram cientistas e levaram a especulações por parte de ufologistas de que ele poderia até mesmo ser um artefato alienígena – e agora eles descobriram que ele teve um estranho aumento de velocidade enquanto passava, o que ajudou a identificá-lo como um cometa.

  Uma equipe liderada por europeus apresentou o caso na edição de quarta-feira do periódico Nature.

  Telescópios observaram o misterioso objeto de cor vermelha outubro passado enquanto ele chispava através do sistema solar interior.

  Desde então, os astrônomos alternaram opiniões entre cometa e asteróide para o nosso primeiro convidado interestelar confirmado.

  “Nossas medições de alta precisão das posições do Oumuamua revelaram que havia alguma coisa afetando seu movimento além das forças gravitacionais do Sol e planetas”, disse Marco Micheli do Centro de Coordenação de Vigilância Situacional Espacial de Objetos Próximos da Terra da ESA (European Space Agency) em Frascati, Itália, e autor principal de um artigo descrevendo as descobertas da equipe.

  O aumento de velocidade foi consistente com o comportamento de um cometa, disse o co-autor Davide Farnocchia do Centro de Estudos para Objetos Próximos da Terra (CNEOS) no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA.

Esta ilustração mostra Oumuamua correndo em direção à periferia do nosso sistema solar. Como a complexa rotação do objeto torna difícil determinar sua forma exata, há muitos modelos do que ele poderia se parecer

  “Esta sutil força adicional no Oumuamua provavelmente é causada por jatos de material gasoso expelidos de sua superfície”, disse Farnocchia.

  “O mesmo tipo de escapamento gasoso afeta o movimento de muitos cometas em nosso sistema solar.”

  Cometas normalmente ejetam grandes quantidades de poeira e gases quando aquecidos pelo Sol.

  Mas de acordo com o cientista da equipe Olivier Hainaut do Observatório Europeu do Sul, “não havia sinais visíveis de ejeção de gases no Oumuamua, de modo que essas forças não eram esperadas.”

Um objeto de forma alongada que recentemente passou perto da Terra foi confirmado como o primeiro vindo de fora da Via Láctea a visitar nosso sistema solar. O asteróide Oumuamua passou através do nosso sistema solar em novembro

  A equipe estima que o desprendimento de gases no Oumuamua deve ter produzido pequena quantidade de partículas de poeira – o suficiente para dar ao objeto um pequeno impulso na velocidade, mas não o suficiente para ser detectado.

  Karen Meech, uma astrônoma do Instituto de Astronomia da Universidade do Havaí e co-autora do estudo, especulou que pequenos grãos de poeira, presentes na superfície da maioria dos cometas, foram erodidas durante a longa jornada do Oumuamua através do espaço interestelar.

  “Quanto mais estudamos o Oumuamua, mais excitante ele se torna”, disse Meech.

  “Estou maravilhada com o muito que aprendemos com uma campanha de observação curta e intensa. Eu dificilmente posso esperar pelo próximo objeto interestelar!”

  Oumuamua, com menos de meia milha de comprimento (cerca de 800 metros), está agora mais longe do nosso Sol do que Júpiter e afastando-se a cerca de 70.000 mph (110.00 kph) à medida que se dirige para os limites do sistema solar.

  Em somente mais quatro anos, ele passará a órbita de Netuno (Nota 1) em seu caminho de volta ao espaço interestelar.

  Porque o Oumuamua é o primeiro objeto interestelar jamais observado em nosso sistema solar, os pesquisadores avisam que é difícil tirar conclusões gerais sobre a nova classe de corpos celestiais recém descoberta.

  Entretanto, observações apontam a possibilidade de que outros sistemas estelares regularmente ejetem pequenos objetos semelhantes a cometas e que deve haver mais deles à deriva entre as estrelas.

  Futuras pesquisas com base em terra e no espaço poderiam detectar mais destes vagabundos estelares, fornecendo uma amostragem maior para os cientistas analisarem.

Fonte: Daily Mail, 27/06/2018

Autor: Mark Prigg

Nota 1 do Site: Como o Oumuamua tem uma órbita muito inclinada em relação ao plano da eclíptica, não nos parece muito apropriado falar em “passar a órbita de Netuno”. Veja imagens abaixo:



Veja também:

VLT Vê Oumuamua a Acelerar (Astronomia On-line, 29/06/2018)

Primeiro Asteróide Interestelar Tem Formato Inédito (Inovação Tecnológica, 21/11/2017)

<p align="center"> <font face="tahoma" size=4> <a href="Menu_alternativo.htm" target="_top"> <font color="ff0000">Voltar para o Menu Alternativo</font> </a> </font> </p>