Home

1007.   Stonehenge: Estudo Afirma Ter Descoberto A Rota dos Monólitos de Wales a Salisbury


  O mistério de como as gigantescas pedras de Stonehenge foram transportadas pode ter sido finalmente resolvido.

  Um novo estudo afirma que grandes porções de terra endurecida e minerais foram removidas de pedreiras galesas em uma “rodovia de pedras” abrangendo estradas e rios.

  Especialistas há muito tempo têm estado perplexos sobre como os maciços rochedos foram transportados de Gales para a Planície de Salisbury.

  Agora, eles acreditam que encontraram a fonte das pedras assim como a rota usada para levá-las de Pembrokeshire a Wiltshire.

O mistério de como as gigantescas pedras de Stonehenge foram transportadas pode ter sido finalmente resolvido. Especialistas acreditam que foram usadas rotas por mar e terra – através de uma “rodovia de pedras” ao invés de terem sido transportadas ao longo da costa galesa passando pelo Canal de Bristol

  Richard Bevins do Museu de Gales e Rob Ixer da Universidade de Leicester decidiram revisar o trabalho do geólogo Herbert Henry Thomas.

  Por mais de 80 anos, seu trabalho foi visto como a explicação definitiva para a jornada seguida pelas pedras e seus manipuladores neolíticos.

  Em 1923, O Dr. Thomas propôs uma rota que estabelecia o transporte das pedras de arenito azul de Stonehenge desde a área de Mynydd Preseli ao norte de Pembrokeshire e ao longo da costa galesa.

  Novas técnicas analíticas, incluindo avançados escaneamentos de imagem, forneceram escrutínio deste trabalho, que os pesquisadores usaram como base para seu estudo.

  Eles descobriram que os maiores blocos de arenito vieram das proximidades de Marlborough Downs e as menores, de arenito azul, das montanhas Preseli em Pembrokeshire.

  O arenito da principal Pedra do Altar não veio de nenhuma dessas duas áreas, entretanto, e “muito provavelmente” veio de Senni Beds, que se estendem de Llanelli a Herefordshire.

  Os pesquisadores pensavam anteriormente que a Pedra do Altar foi transportada por barco, mas o novo estudo conclui que estradas e rios devem ter sido usados.

  A nova teoria é que ela foi primeiro arrastada até Monmouth e as partes baixas do Rio Monmouth com animais e rolos, então de algum modo cruzou o Rio Severn, ou foi levada de balsa até Avon.

Os pesquisadores descobriram que os maiores blocos de arenito vieram das proximidades de Marlborough Downs e as menores, de arenito azul, das montanhas Preseli em Pembrokeshire. O arenito da principal Pedra do Altar não veio de nenhuma dessas duas áreas, entretanto, e “muito provavelmente” veio de Senni Beds

O ato de construir Stonehenge deve ter sido tão importante quanto uma cerimônia para seus antigos construtores, como o uso depois de terminado o círculo de pedras. A construção do monumento trouxe gente de longas distâncias para participar, e os banquetes cerimoniais eram bancados por aqueles que participavam

  Escrevendo no periódico Antiquity, os pesquisadores disseram: “Nossa conclusão principal é que as origens das pedras de arenito azul como apresentadas por Thomas não são baseadas em evidência confiável, mas parecem terem sido influenciadas predominantemente por um conjunto de amostras coletadas durante uma única excursão de campo ao Mynydd Preseli em 1906, 14 anos antes de sua investigação sobre Stonehenge.”

  “Isso ajuda a explicar porque nossos estudos recentes identificaram fontes alternativas.”

  “Embora respeitáveis para seu tempo, os resultados destas novas análises, combinados com uma checagem meticulosa das amostras arquivadas consultadas por Thomas, revelam que os locais chave há muito tempo supostos como fontes das pedras de arenito azul para Stonehenge podem ser abandonados em favor dos locais recentemente identificados em Craig-Rhos-y-felin and Carn Goedog.”

  “O ato de construir Stonehenge deve ter sido tão importante quanto uma cerimônia para seus antigos construtores, tanto como o uso depois de terminado o círculo de pedras”, disseram os especialistas em março.

  A construção do monumento de 5.000 anos trouxe pessoas de todo o país para beber e se conhecerem umas às outras em grandes banquetes cerimoniais.

  O trabalho em Stonehenge pode ter sido usado para mostrar aos estrangeiros o poder da pequena comunidade que o construía, disseram pesquisadores da English Heritage.

Stonehenge foi usada como centro de cerimônias ao longo de 5.000 anos de história. Na imagem a impressão artística de uma cerimônia neolítica no local cerca de 3.000 anos AC, quando o monumento era apenas uma série de valas sem os monólitos pelos quais é conhecido atualmente

  A teoria pode explicar porque algumas das pedras do local de Wiltshire foram transportadas por mais de uma centena de milhas (160 km) de uma pedreira do sul de Gales.

  Susan Greaney, uma historiadora sênior da English Heritage, disse: “Na cultura ocidental contemporânea, estamos sempre lutando para fazer coisas tão fácil e rápido quanto possível, mas acreditamos que para os construtores de Stonehenge este pode não ter sido o caso.”

  “Trazer um grande número de pessoas de longe e de diversos lugares para tomar parte no processo de construção foi potencialmente uma poderosa ferramenta para demonstrar a força da comunidade aos estrangeiros.”

  “Ser capaz de bem receber e recompensar essas pessoas que vieram de longe, talvez em um tipo de peregrinação, com banquetes cerimoniais, poderia ser uma expressão a mais do poder e posição da comunidade.”

  A teoria segue a recente descoberta da English Heritage da realização de banquetes no assentamento neolítico de Durrington Walls, também encontrado em Wiltshire.

  De acordo com os historiadores, isto atraiu pessoas por todo o país para ajudar a construir o monumento neolítico.

  A descoberta levou a English Heritage a examinar novamente teorias sobre como Stonehenge foi construído, concluindo que a construção do monumento foi importante e causa de celebração.

Quem Construiu Stonehenge?

  Stonehenge foi construído milhares de anos antes que máquinas fossem inventadas.

  As pesadas pedras pesam mais de várias toneladas cada.

  Acredita-se que algumas das pedras se originaram de uma pedreira em Gales, cerca de 140 milhas (225 km) distante do monumento em Wiltshire.

  Realizar isso teria requerido um alto grau de inventividade, e especialistas acreditam que os antigos engenheiros usaram um sistema de roldanas aplicado a uma espécie de esteira rolante de troncos.

  Os historiadores agora pensam que o anel de pedras foi construído em vários diferentes estágios, com o primeiro completado há cerca de 5.000 anos atrás por britões neolíticos que usaram ferramentas primitivas, possivelmente feitas de galhadas de veado.

  Cientistas modernos agora acreditam amplamente que Stonehenge foi criado por várias tribos diferentes ao longo do tempo.

  Depois dos britões neolíticos – provavelmente nativos das Ilhas Britânicas – terem começado a construção, ela foi continuada séculos depois por seus descendentes.

  Ao longo do tempo, os descendentes desenvolveram um meio de vida mais comunal e ferramentas melhores que ajudaram no erguimento das pedras.

  Ossos, ferramentas e outros artefatos encontrados no local parecem sustentar essa hipótese.

Como Foi Construído Stonehenge?

  Stonehenge é um dos mais proeminentes monumentos pré-históricos na Inglaterra. O Stonehenge que pode ser visto atualmente é o estágio final que foi completado cerca de 3.500 anos atrás.

  De acordo com o site do monumento, Stonehenge foi construído em quatro estágios:

Primeiro estágio: A primeira versão de Stonehenge foi uma grande obra em terra ou Henge, compreendendo uma vala, muro e os buracos Aubrey, tudo construído provavelmente por volta de 3.100 AC.

  Os buracos Aubrey são covas redondas no calcário, com cerca de um metro (3,3 pés) de diâmetro e profundas, com lados íngremes e fundos planos.

  Eles formam um círculo de cerca de 86,6 metros (284 pés) de diâmetro.

  Escavações revelaram ossos humanos queimados no preenchimento de calcário de alguns dos buracos, mas os buracos em si não eram provavelmente feitos para serem usados como sepulturas, mas como parte de uma cerimônia religiosa.

  Depois desse primeiro estágio, Stonehenge foi abandonado e deixado intocado por mais de 1.000 anos.

Segundo estágio: O Segundo e mais dramático estágio de Stonehenge começou por volta de 2.150 AC, quando cerca de 82 pedras de arenito azul das montanhas Preseli no sudoeste de Gales foram transportadas para o local. Supõe-se que as pedras, algumas das quais pesam quatro toneladas, foram arrastadas sobre rolos e trenós até as águas de Milford Haven, onde foram colocadas sobre balsas.

  Elas foram carregadas sobre a água ao longo da costa sul de Gales até os rios Avon e Frome, antes de serem arrastadas de novo por terra até perto de Warminster e Wiltshire.

  O estágio final da jornada foi principalmente por água, pelo rio Wylye até Salisbury, e então pelo Salisbury Avon até o oeste de Amesbury.

  A jornada percorria aproximadamente 240 milhas (386 km), e uma vez no local, as pedras foram arrumadas no centro para formar um duplo círculo incompleto.

  Durante o mesmo período, a entrada original foi alargada e um par de Heel Stones (Pedras do Calcanhar) erguido. A parte mais próxima da Avenida, conectando Stonehenge com o rio Avon, foi construída alinhada com o amanhecer do solstício de verão.

Terceiro estágio: O terceiro estágio de Stonehenge, que aconteceu em cerca de 2.000 anos AC, viu a chegada das pedras de arenito (sarsen stones), que eram maiores que as pedras de arenito azul (bluestones).

  Elas foram provavelmente trazidas de Marlborough Downs (40 quilômetros, ou 25 milhas ao norte de Stonehenge).

  A maior dessas pedras pesa 50 toneladas, e o transporte por água não teria sido possível, de modo que se suspeita que elas foram transportadas com o uso de trenós e cordas.

  Cálculos mostraram que teriam sido necessários 500 homens usando cordas de couro para puxar uma pedra, com mais 100 extras para colocar os rolos na frente do trenó.

  Essas pedras foram arranjadas em um círculo externo com uma cobertura contínua de lintéis – suportes horizontais.

  Dentro do círculo, cinco trilitons – estruturas consistindo de duas pedras verticais encimadas por uma terceira horizontal como lintel – foram colocados em um arranjo de ferradura, que pode ainda ser visto hoje em dia.

Estágio final: O quarto e final estágio teve lugar logo depois de 1.500 anos AC, quando as pedras de arenito azul menores foram rearranjadas dentro da ferradura e no círculo que pode ser visto atualmente.

  O número original de pedras no círculo de arenito azul era provavelmente em torno de 60, mas elas foram desde então removidas ou quebradas. Algumas restam como fragmentos curtos e espessos abaixo do nível do solo.

Fonte : Daily Mail, 29/06/2018

Autor : Mark Prigg, Tim Collins

<p align="center"> <font face="tahoma" size=4> <a href="Menu_alternativo.htm" target="_top"> <font color="ff0000">Voltar para o Menu Alternativo</font> </a> </font> </p>